Governador Flávio Dino, que tem como slogan do seu governo “Um Maranhão de todos nós”, diz não ter condições de pagar reajuste salarial dos professores

Governador Flávio Dino, que tem como slogan do seu governo “Um Maranhão de todos nós”, diz não ter condições de pagar reajuste salarial dos professores

O governo do Maranhão afirmou não ter condições de conceder o reajuste de 33,24% no piso salarial dos professores. A Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan) divulgou recentemente uma nota técnica em que explica o impacto financeiro em caso de concessão do aumento.

“Para fins de comparação, se aplicarmos o percentual de 33,24% para o Piso do Magistério, o impacto seria na ordem de R$ 619,7 milhões para o ano de 2022, implicando no esgotamento total dos recursos do FUNDEB e inviabilizando o funcionamento da rede estadual de educação”, destaca um trecho da nota.

Por outro lado, o governador Flávio Dino insiste na narrativa de que paga aos educadores da rede estadual de ensino o maior salário do Brasil, falácia essa já combatida inúmeras vezes pelos professores.

O governo tem utilizado a remuneração global dos docentes, que envolve o vencimento e as gratificações, para dizer que paga o piso salarial, o que é mentira. O piso nacional reajustado de um professor de 40 horas é de R$ 3.845,63, mas o governo paga somente R$ 2.886,24.

Nos próximos dias, a classe dos educadores deve fazer uma paralisação geral em todo o Maranhão até o governo Dino dar uma resposta assertiva sobre piso salarial.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.