O Estado do Maranhão e a política do “Circo sem Pão”

O Estado do Maranhão e a política do “Circo sem Pão”

Não sei se vocês têm meditado na política de governo que temos vivenciado, mas já ouviram falar de “Pão e Circo”? Aquela prática da Roma Antiga onde o imperador tentava ludibriar o povo com comida e diversão? Pois bem, aqui no Maranhão nós temos o circo, mas infelizmente esqueceram de nos dar o pão. Cézar disse a frase: “dê pão e circo ao povo”, mas nosso governador só interpretou metade do sentido dela. O espetáculo da riqueza tomou conta do nosso estado, sem controle e sem eficiência temos um regime desgovernado onde quem deveria estar no picadeiro, agora se encontra na plateia contemplando a encenação.

No circo em que vivemos, a rainha do São João é a COVID, os destaques do palco podem ser contemplados nos hospitais com um número crescente de casos registrados. O bumba-boi, quadrilha, cacuriá são apenas coadjuvantes em um evento no qual deveriam ser os personagens principais. Nessa festividade só conseguimos contemplar várias famílias sendo induzidas a participar de arraiais sem nenhuma proteção, sem precauções, orientações e cuidados por parte da secretaria de saúde.

E a segurança? Onde o sistema social é coagido por assaltantes e assassinos constantemente, onde pessoas saem às ruas sem a certeza de que irão voltar para seus lares. Como fica essa parte do show? Quem participa deste espetáculo sabe do que eu estou falando!

No meio das apresentações temos também um povo sem mobilidade urbana, sem direito de ir e vir, com vias intrafegáveis repletas de buracos; o ferry boat não passa de um ferro velho interditado pela Justiça Federal; a estrada do Araçagi virou um trecho de morte; o BRT nunca saiu do papel, inclusive o papel sumiu e juntamente com ele o dinheiro.

Alheios à realidade, muitos maranhenses que se encontram em extrema pobreza passam fome, enquanto isso, no Palácio dos Leões, estão sendo realizadas licitações equivalentes à R$ 10 milhões para banquetear o governador e seus apoiadores com lagostas, camarões e tantas outras iguarias de prazer e satisfação.

Como podemos ver, o circo está instalado, os espetáculos estão acontecendo. Quem está no picadeiro? Onde estão os palhaços, na plateia ou no palco? Cadê o pão? O estado se preocupa apenas com a diversão e entretenimento, mas a realidade como fica? E a fome que precisa ser saciada? Se o governo é do povo, o que temos feito para governar com excelência? O ato de votar representa o ato de fazer o governo. Ou você escolhe continuar nessa política de circo sem pão ou se posiciona hoje contra todo esse espetáculo e exibição. O poder está em suas mãos!

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.