GUERRA NA UCRÂNIA: Rússia invade Kiev. Presidente pede que ucranianos resistam e usem armas

GUERRA NA UCRÂNIA: Rússia invade Kiev. Presidente pede que ucranianos resistam e usem armas

Tropas russas invadiram a capital da Ucrânia, Kiev, na manhã desta sexta-feira (25/02). A informação foi confirmada pelo jornal americano _The New York Times_.

Desde a madrugada, a capital da Ucrânia já era atingida por mísseis e explosões. Por causa da invasão russa, o grupo hacker Anonymous declarou guerra cibernética ao governo de Putin.

Não está exatamente claro o que a Rússia pretende fazer na capital ucraniana, mas a certeza é de que Vladimir Putin quer que Volodymyr Zelensky ceda às pressões, renda-se e aceite as exigências russas.

O objetivo, provavelmente, é, portanto, derrubar o governo de Zelensky.
Zelensky diz que não vai renunciar e conclama a população a resistir. Todos os ucranianos que quiserem podem pegar armas do Exército ucraniano. A TV ucraniana também está ensinando a população a produzir coquetel molotov e a atacar suspeitos.

Nesta sexta-feira (25/02), a ucrânia já calcula que 137 cidadãos (entre civis e militares) tenham sido mortos por causa da invasão russa. Por outro lado, Kiev afirma também que já matou 800 soldados russos. 

Entendendo a Guerra Ucrânia e Rússia

Diversos são os motivos apontados por Vladimir Putin (presidente da Rússia) para atacar a Ucrânia, todos infundados, segundo as principais autoridades de todo o mundo.

Em entrevista coletiva na quinta-feira (24/02), o presidente americano, Joe Biden, disse que Putin quer a recriação da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. 

Diferente do que muitos imaginam, a Rússia não está sozinha. Alguns líderes mundiais já declaram abertamente que apoiam o país em meio à guerra na Ucrânia.
 
De sua parte, Putin afirma que a estrutura militar ucraniana é neonazista e que a Ucrânia é responsável por um “genocídio” contra grupos separatistas pró-Rússia que vivem na região leste do país. Autoridades internacionais negam o argumento de Putin e lembram que o próprio presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, é judeu. 

OTAN

Putin também se sente ameaçado pelo crescimento da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), aliança que congrega 30 países. A Ucrânia quer entrar no grupo, mas — embora não faça parte do grupo — a Rússia não quer que o país vizinho entre no bloco.

Putin quer que a Ucrania seja desmilitarizada e vire um país neutro. O governo ucraniano, naturalmente, não aceita as exigências do presidente russo. 

Fonte: www.prcarloscardozo.com

Confira foto e vídeos a seguir…

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.