A valsa do STF

A valsa do STF

 

O STF e as suas teses de conveniência:

Recentemente, senadores ingressaram no STF contra o presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, senador Davi Alcolumbre para que o mesmo paute a sabatina do indicado pelo Presidente da República a uma vaga de Ministro do Supremo Tribunal Federal, o advogado André Mendonça.

A decisão coube ao ministro Ricardo Lewandowski que negou o pedido alegando que o STF não deve interferir nos assuntos que competem ao Senado.

Outrora, o STF instado a decidir sobre a Instalação da CPI, o então ministro Barroso determinou ao Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que procedesse com a instalação da CPI da COVID!

Diante da contradição de posicionamentos, questinona-se: O Barroso interferiu no Senado?

Então houve interferência ou conveniência em torno de Interesses de grupo políticos opositores ao qual o Barroso Sempre foi ligado?

Ora senhores, já diz o ditado: Só os Sábios enxergam o Óbvio! Se a decisão é a favor do governo, o STF alega que não poder interferir. Se é contra o Governo, o STF interfere.

É lamentável! A SUPREMA CORTE é uma instituição Digna e permanente, mas, alguns de seus Ministros, NÃO DEVERIAM OCUPAR SUAS CADEIRAS.

Manoel Filho, advogado, pós-graduado em Direito Público pela Universidade Anhanguera, PUC/São Paulo

Compartilhar:

Deixe um comentário